Quero fazer a Transiberiana – por onde começar?

Depois de mais de três anos morando na Rússia e já começando a entender as nuances e sutilezas do país, resolvi embarcar na épica Transiberiana, a viagem de trem que liga Moscou à cidade de Vladivostok, lá no Pacífico. Serão 9289km, sete fusos horários e 40 dias no maior trajeto de trem do planeta. Morar no país e conhecer o idioma facilitou o meu (pequeno) planejamento, mas tentarei dar o máximo de detalhes para que o viajante independente consiga se organizar. A primeira confusão a respeito da Transiberiana é entender o que ela é. Muita gente pensa que é somente um trem ou apenas uma rota, mas na verdade há várias Transiberianas e é possível adaptar o trajeto clássico aos interesses de cada um. Não há somente uma rota nem apenas uma maneira de fazer a viagem. Muitas pessoas, por exemplo, preferem seguir para a Mongólia ou a China depois do lago Baikal, mas eu decidi me concentrar na Rússia e fechar a viagem no extremo oriente do país. Veja abaixo o mapa da Transiberiana clássica (traçado vermelho):

Mapa Classico Transiberiana

Fazer a Transiberiana direto ou parando ao longo do percurso?

Cruzar a Rússia toda de trem sem parar deve ser o mesmo que entrar num Big Brother sobre trilhos, durante uma semana. Ao menos que você queira gastar muito dinheiro e pagar uma cabine exclusiva (e foge um pouco do espírito da viagem), acordar e dormir com pessoas desconhecidas durante tanto tempo não é pra qualquer um. O máximo que eu já fiz foram duas noites consecutivas dentro de um trem (do sul pro norte da Rússia). Foi sensacional por um lado porque fiz amizades com pessoas que provavelmente nunca teriam cruzado o meu caminho, além de ter entendido um pouco o jeito russo de ser. Por outro lado, foi cansativo e às vezes bem chato, seja pela mesma paisagem durante tantas horas seja pelos inconvenientes “vizinhos de trem”. Acho que cinco paradas durante a Transiberiana é um mínimo razoável. Assim tem como “quebrar” bem o longo trajeto e aproveitar também a experiência do trem. Como eu tenho interesses mais específicos por já morar aqui e por ser jornalista, resolvi fazer muitas, muitas paradas. Sai mais caro porque não existe um ticket Moscou-Vladivostok com o qual seja possível parar quantas vezes você queira, mas achei que valia a pena. Confiram meu trajeto, ligeiramente adaptado da versão clássica (resolvi incluir Kazan e Sakhalin):

Mapa Transiberiano  Não falo russo. Tem como fazer a Transiberiana?

Claro. Óbvio. Evidente. Já pensou se viajássemos somente para países cujo idioma nós dominamos? Não entendo muito bem o medo de viajar à Rússia sem saber russo. É verdade que os russos não sabem inglês? Sim, é verdade. Mas você é brasileiro!!!! Use a brasilidade ao seu favor. E sorria, mesmo que eles não retribuam. Fale “Brazilia” (“Brasil”, em russo), “Ronaldo”, “Izaura”, “fazenda”, “Carnaval” e  “Ai se eu te pego” e sua vida estará resolvida. Não gosto de estereótipos de nenhum tipo, mas pelo menos a ideia que os russos têm do Brasil é bem positiva. Na verdade, é até mesmo um tanto quanto exótica, beirando à piada (não se surpeenda se falarem do grande jogador brasileiro Maradona ou se acharem que temos macacos pelas nossas cidades). Viajar pela Rússia sem saber russo não é nem de longe simples, mas pode render histórias divertidas também. Eu vim aqui a primeira vez em 2008 e o meu conhecimento do idioma se resumia à palavra “vodka”. Dependendo da sua sorte com o “vizinho de trem”, um pedaço de papel e um mapa podem ser o pontapé para uma conversa. Experiência própria. No geral, nem mesmo em Moscou há sinalizações em inglês. São Peterburgo é um pouco mais bem preparada para receber turistas, mas no resto do país fala-se russo e somente russo. E isso vale também para aeroportos, estações de trem e até mesmo albergues da juventude. A notícia boa é que todos os russos sabem ler o nosso alfabeto (uff), mas como poucas coisas estão transliteradas nas placas das cidades, é fundamental que você leve um papelzinho com o alfabeto cirílico. Em alguns dias, você já saberá ler o russo, acredite. É bem bem fácil:

Alfabeto

Quando viajar?

Mais uma vez, acho que há diferentes Transiberianas. Como a Rússia tem as quatro estações, são pelo menos quatro paisagens diferentes. O inverno deve ser impressionante. Cruzar a Sibéria com neve e temperaturas abaixo dos -30C pode ser uma super experiência. Como eu já moro na Rússia e não aguento mais tanta neve, decidi começar no fim da primavera/início do verão (junho) para fugir também do calor de julho e agosto. Lembre-de que a Rússia é um país frio e está preparado somente para o frio. Ar-condicionado é um artigo de luxo aqui.

Tenho pouco tempo.

Viajar com pressa é sempre ruim, mas tem como, claro. Lembre-se que somente o trem já “come” quase sete dias. Se você fizer cinco paradas, dá pra completar tudo em uns 20 dias, mas correndo. Onde parar? Chutando por alto, eu diria: Moscou –> Kazan –> Ekaterinburg –> Novosibirsk (Tomsk) –> Irkutsk –>  Chita –> Vladivostok. Mas insisto. É tudo correndo muito.

Quanto custa?

Esta pergunta também é clássica, mas a resposta tem dezenas de variantes. Acho que poderei responder com mais propriedade quando eu terminar a minha viagem mas por enquanto, deixo as contas para um mochileiro: – passagem até Moscou: varia, obviamente, da cidade de partida – albergue (dormitório): 500 rublos (R$ 35) por dia. – visitas turísticas: 500 rublos (R$ 35) por dia – comida: 700-800 rublos (R$ 47-53), sem cervejas. – passagens: tudo depende do número de paradas ao longo da Transiberiana. O trem direto de Moscou para Vladivostok custa 8 mil rublos (R$ 530), em junho de 2013. Com cinco paradas, subimos o valor para 15 mil rublos (R$ 1 mil). – lembrancinhas: eu já não compro nada nem pra família. Mas sei que muita gente compra tanto ímã que se colocar a mochila perto da geladeira, a mochila inteira fica pendurada. Minha sugestão é diminuir os souvernirs porque depois aquela tia nem vai comprar uma caneta no seu aniversário – extras: este costuma ser o grande drama de qualquer viajante. Tudo pode acontecer. Ter que pegar um taxi super caro de repente, perder um trem, sentar sem querer num restaurante caro ou simplesmente se empolgar e achar que faz parte do programa Mulheres Ricas. Some todo o orçamento e acrescente 15% para os imprevistos. Claro que tudo é muito aproximado. Os valores no interior da Rússia são mais baixos, mas compensam os valores estratosféricos de Moscou e do Baikal.

Quanto custam as passagens? Tem alguma época mais barata ou mais cara?

As passagens na Rússia variam de acordo com a temporada. O período mais caro (entre 15 e 20% acima da tarifa base) é entre os dias 8 de junho e 2 de setembro, além dos dias 29 e 30 de dezembro. Os meses mais baratos são fevereiro, março (excluídos os dias 7, 8, 9 e 10), abril, outubro e novembro (excluídos os dias 1, 2, 3 e 4). Na baixa temporada, os preços são entre 15 e 25% inferiores ao preço padrão. Em alta temporada, recomenda-se comprar com antecedência, especialmente trechos entre Kranoyarsk e Irkutsk (lago Baikal). As passagens desaparecem.

Como comprar a passagem? Em que classe viajar?

A leitura do meu post anterior explica tudo – https://omundano.com/2013/01/03/como-viajar-de-trem-pela-russia/ . Agora o site das Ferrovias Russas está em inglês, facilitando tudo.

O que levar?

Uma mochila com o mínimo dentro. Se você não viajar no inverno, o que exigiria uma backpack abarrotada de casacos, é fácil sair de casa com 10kg em uma mochila e uma mochila menor para câmera, guia e coisas do dia-a-dia. Como a minha viagem é em junho, estou levando oito camisetas (que irei lavando e revezando ao longo do trajeto), dois casaquinhos, uma toalha, um par de tênis, havaianas (que eu uso o tempo quase todo), cinco pares de meias, um short e uma calça jeans. Não se esqueça dos artículos de higiene pessoal e de remédios para estômago e dor-de-cabeça. Band-aid, desinfetante e camisinha também podem ser úteis. E repelente, sem dúvida. Leve também algo para seu tempo ocioso (produtivo ou não). Pode ser um tablet/computador, livro, arquivo eletrônico que você precisa organizar, crochê, Xbox, papel para desenho… Tempo você terá e esse é um bom momento para colocar algumas coisas em ordem. E o mais importante: comidinha e bebidinha. Para comer, os russos sempre, sempre, sempre levam para o trem: – ovo cozido – pepino – tomate – miojo (“lapshá”, em russo) – chá Estes são os itens que não podem faltar na sua mochila. Como tem um recipiente com água quente no trem, você pode fazer seu miojinho gostoso com toda a higiene do mundo. O mesmo vale para o chá. Além de garfo, faca e colher, leve uma xícara de chá (melhor que seja algo resistente). Comprando chá no mercado, você poderá tomar chá dentro do trem durante toda a viagem e isso é quase um ritual russo. De qualquer maneira, chá é servido por alguns módicos rublos dentro do trem também.

Transiberiana - comida

Viajar sozinho ou em grupo?

São duas viagens diferentes – sozinho e em grupo –, com seus prós e contras. Claro que uma viagem com um (PEQUENO) grupo é sempre mais divertida, mas vale lembrar que demora muito mais pra que todos se arrumem, tomem banho, decidam. Se houver um líder claro, ótimo. Se não, problemas provavelmente acontecerão. Pr’este tipo de viagem, eu acho mais interessante viajar sozinho. A gente nunca sabe quem vai sentar do nosso lado e acho este exatamente um dos pontos altos da Transiberiana.

Vizinho

Aí a pessoa que está do seu lado no trem na Rússia te aponta uma faca e diz: “Tenho antecedentes criminais”. E dorme. Mas antes ele toma um gole de vodka e te força a beber também.

É seguro para mulheres?

Muito seguro. As precauções são as mesmas – ser firme quando a cantada ou a gracinha não te interessarem, evitar grupos de homens que estejam bebendo álcool, não andar por lugares desconhecidos sozinha à noite. O de sempre. A Rússia é bastante segura para os padrões brasileiros e os bêbados do trem e das ruas são os que mais incomodam (mas não costumam passar de palavras incompreensíveis lançadas ao vento).

E para a comunidade LGBT?

Não acho correto/justo que alguém tenha que esconder o que é ou precise até mesmo mentir pata evitar problemas, mas por questões de segurança, sugiro que a comunidade lgbt NÃO exponha a sua orientação sexual na Rússia. Os papeis de gênero são ainda muito fortes no país e a homofobia (do jeito que entendemos no Ocidente) é quase uma regra. Todo cuidado é pouco. Atenção até mesmo para os aplicativos de encontro (Grindr, por exemplo). Houve pelo menos cinco casos de crimes possivelmente relacionados ao Grindr nos últimos seis meses em Moscou. O encontro com uma pessoa aparentemente interessante pode te levar a um criminoso.

E como volto da minha Transiberiana?

Acho que a maneira mais simples é voltar de avião para Moscou. As passagens começam em 7.500 rublos (500 reais), mas podem facilmente chegar aos 20.000 rublos (1.340 reais), na alta temporada. A viagem de avião entre Vladivostok a Moscou dura quase nove horas.

Álcool no trem

Os russos bebem muito. E sabem beber. Você já viu garrafa de cerveja de 5 litros? Tem na Rússia. E cerveja com 12% de álcool? Temos também. Não tenha vergonha de recusar uma dose de vodka ou uma cerveja estranha e forte. Eles vão insistir e depois fica mais difícil escapar da segunda, da terceira, da quarta… Beber uma cerveja com as novas amizades pode ser bem legal, mas ninguém quer ficar bêbado na Transiberiana, né? Pode ser perigoso de verdade.

Internet e eletricidade

Vale a pena comprar em Moscou um simcard russo. Custa bem pouco e, dependendo da tarifa, é possível ter 3G por 25-30 reais pelo mês inteiro. E funciona em todo o país, sem custo adicional. Há tomadas 220V nos vagões. Se você tiver sorte e pegar um trem melhor, há uma para cada grupo de seis pessoas. Se você não tiver tanta sorte, busque perto do banheiro e próximo à cabine da “trem-moça”, no início e no fim de cada vagão.

Boa viagem!

IMG_4140

Em Moscou: estação de trem Kazansky

Anúncios
Categorias: Uncategorized | 129 Comentários

Navegação de Posts

129 opiniões sobre “Quero fazer a Transiberiana – por onde começar?

  1. Tatiana

    Priviet, acabo de descobrir teu blog, e a trip que farás eu ainda farei um dia. Estou estudando russo inclusive, (mas de forma autodidata no momento). Já estive em Moscow e St Petersburg, amei as duas cidades, pena q fiquei menos de uma semana aí. Mas o objetivo é este, aprender russo e fazer a Transiberiana (com direito à várias paradas). Vou acompanhar aqui tua trip, e aguardando dicas! Boa viagem!

  2. Mandando muito bem, Sandro ! (y)
    “sei que muita gente compra tanto ímã que se colocar a mochila perto da geladeira, a mochila inteira fica pendurada”
    “Band-aid, desinfetante e camisinha também podem ser úteis.”
    só faltou uma coisa, na parte “o que levar”: leve muitos “lapshá” na mochila porque na “floresta não tem jaca”!!!
    😀

  3. Bernardovski

    Maneiro! Quero morar na Rússia – agora!

  4. barbarasv

    Republicou isso em From Day One.

  5. Cheguei aqui por indicação de um amigo, o José Maria. Ele estava certo. Gostei muito do blog, parabéns! Ah… e eu não tenho antecedentes criminais (mas até posso beber uma vodka, se for preciso dormir no trem) 😉 Um abraço

  6. nos no brasil temos que abrir as pernas p/todos os turistas,la eles nen querem saber que lingua voçe fala.o brasileiro puxa saco de todo mundo e as mulheres so querem estrangeiro.vagabex!!!!

  7. Dole de Melo

    Bom dia!!! Estou no Brasil mas com um olhar aguçado para a Transiberiana…Afinal vc fez mesmo essa viagem? Um abraço…Dole

    • O Mundano

      Dole, fiz sim. Só estou demorando a terminar as postagens. Mas já comecei. Veja lá. 🙂 Abraços!

  8. Amei teu blog e tuas dicas!!! Ja estive duas vezes na Russia e ano que vem parto pra a minha Transiberiana!!! 😀

    • O Mundano

      Opa, sério??? Que legal!!!! A Transiberiana é uma das viagens mais legais que eu já fiz. Você vai gostar muito, ainda mais se já conhece a Rússia!!!

  9. Mundano! Adorei o seu blog, parabéns!! – e preciso muito de sua ajuda urgente hehe!
    Estou agora em Berlim e meu plano é ir pra Moscou na semana que vem e dali pegar a Transiberiana pra Beijing… Pelo que me informei brasileiro agora não precisa de visto pra Russia, mas precisa pra China… Como você conseguiu o visto? A partir de Moscou mesmo? Quantos dias demorou pra sair?
    Obrigada!

    • O Mundano

      Olá, Claudia. Olha, eu fiz somente a Transiberiana mesmo – até Vladivostok. Não fiz a Transmongoliana nem a Transmanchuriana. Ou seja, fiquei somente na Rússia (e como você disse, não precisa de visto para brasileiros aqui na Rússia – 90 dias).

      Eu já fui à China em outra viagem, mas peguei o visto no Nepal. Vc viu se é possível pegar o visto chinês em Berlim? Não sei como funciona este serviço aqui na Rússia e nem quanto tempo demora. Quando exatamente você chega aqui a Moscou??

      Beijos

      • Oiii! Obrigada pela resposta!
        Ainda não vi nada de vistos, na 2a feira vou dar um pulo no consulado da China de Berlim pra me informar melhor…
        Estou pensando em sair daqui na 3a ou 4a feira, mas ainda nem mesmo decidi se vou de trem ou de avião (eu prefiro trem – assim poderei ver ao menos um pouquinho da Polônia! mas a viagem dura mais de 24 horas…). Provavelmente chego aí na 4a ou 5a feira…

      • O Mundano

        Oi, Claudia.

        Se você vier de trem, tudo vai ficar um pouco mais complicado porque você teria que pedir um visto para a Belarus, por onde o trem invariavelmente tem que passar. Este trem de Berlim pra Rússia é bem conhecido – Сибиряк (Siberiac, en inglês; Sibirjak, em alemão) – e deve ser uma viagem interessante, mas é via Belarus.

        Caso insista na ideia do trem, recomendo ir até alguma cidade da Polônia, depois entrar em um trem que vá via Ucrânia (para fugir da Belarus) e só assim entrar na Rússia. Bem, talvez tenha algum trem direito de Berlim que não faça via Belarus. Você tem alguma informação sobre isso? Posso estar desatualizado, já que é uma rota que nunca fiz.

        De avião, há voos esta semana de Berlim pra Moscou por 130-150 euros, com Aeroflot, Mongolian Airlines, AirBaltic, AirBelin, Transaero… Há muitas opções com preços razoáveis. Busque na página http://www.skyscanner.net

        Ficamos em contato

        Um abraço

      • Oi Sandro!
        Finalmente hoje chegou meu visto para a China, não teve outro jeito, tive que enviar meu passaporte para o Brasil pela DHL e tocar o processo por lá.
        Muito obrigada pelas dicas, graças a elas acabei optando por ir pra Moscou de avião, muito mais simples e barato (96 euros com o Skyscanner). Comprei a passagem agora, chego aí na 3a feira!!
        E sábado embarco na Transib!! 😀
        Valeu! Beijo

  10. Olá. Legal sua viagem. Parabens. Otchi krassvie.
    Fui à Rússia em julho de 2010 e em fevereiro de 2013. Na primeira vez, fui até Irkutsk, Baikal, na segunda, com -25º, fui até Vladi, parando em Ekaterimburgo e Novozibirsk.
    Estou estudando o idioma russo e devo retornar este ano para fazer uma imersão no idioma.
    Como é bom gostar da Rússia, um país lindo, maravilhoso.
    Meu blog http://www.conhecendoarussia.blogspot.com
    Abraços
    Amaro

    • O Mundano

      Que legal, Amaro. A Rússia realmente tem paisagens imperdíveis. Pena que pouca gente ainda se aventura na Terra Cirílica. :-))

      Abração

  11. Eduardo R. gomes

    parabéns… e sobre cartões de crédito? Podem ser úteis… numa parada por exemplo? vende-se comida no trem???

    • O Mundano

      Olá, Eduardo. Nas grandes cidades russas, você consegue usar o cartão sem problema. Mas não espere que seja como no Rio ou em São Paulo – onde até vendedor ambulante tem Visa/Mastercard.

      Em Moscou, muitos lugares simplesmente não aceitam o chamado dinheiro de plástico. Tenha cash com vc na doleira. E se viajar pelo interior da Rússia, melhor ter sempre sempre dinheiro de verdade. Nas paradas você não encontrará perto da estação locais para pagar com o cartão.

      Abração

  12. Eduardo R. gomes

    Obrigado – resposta perfeita.

  13. Adriano Elias Pereira

    Prezado Sandro,
    primeiro parabens pelo excelente blog e por todos os detalhes da sua viagem, muito bacana! E segundo, pela coragem em fazer esta viagem, pois todos os amantes de trens, como eu, nativo de Minas Gerais, sonham em faze-la. Mas tememos um pouco o diferente idioma, o clima e a possibilidade de assaltos. Tambem estou planejando fazer este ‘imenso’ passeio, depois que terminar meus estudos nos Estados Unidos. Ja fiz uma viagem de 4 dias aqui, saindo de Nebraska e indo para a Califorina, passando primeiro por Iowa, Illinois, Wisconsin, Minnesota, Dakota do Norte, Idaho, Montana, Oregon, e finalmente San Francisco, California, pela Amtrak (amtrak.com). Depois retornei por Nevada, Utah e Colorado, gastando 2 dias. Eh uma maravilha o passeio, um pouco cansativo, mas as diferentes paisagens sao contagiante. Foram 6 mil milhas no total! Praticamente a distancia entre os EUA e Brasil, dependendo do estado!!
    Grande abraco e parabens!
    Adriano Elias

    • O Mundano

      Oi, Adriano.

      Antes de mais nada, perdão pela demora em te responder.

      Nossa, sua viagem também deve ter sido bem bem legal. Tem fotos? Algum blog? Estou embarcando pros EUA esta noite, mas não vai ser uma viagem tão legal como a sua. Vai ser algo mais Cidades. 🙂

      Sobre a Transiberiana, sim, é uma viagem incrível. Quero repetir no inverno. E na primavera. E no outono. E quantas vezes puder. Fazer 9,2 mil km de trem sem sair do país é realmente uma provilégio russo… hehe

      Um abração!

      • Adriano Elias Pereira

        Nao tenho blog, tenho pensado em fazer um, mas o doutorado aqui nos USA me toma muito tempo pra ler. Alias semana passada retornei de um passeio pelo Yellowstone park, que maravilha, mas nao foi de trem.
        Mais uma vez obrigado pelas dicas e sucesso.
        Adriano.

      • O Mundano

        Visitar o Yellowstone é um dos meus sonhos. Cheguei semana retrasada dos EUA e tive a sorte de ir ao Grand Canyon. Não imaginei que o parque fosse tão tão incrível. Quando eu voltar aos Estados Unidos, quero tentar visitar alguns destes parques naturais.

        Um abraço e boa sorte, Adriano.

  14. Luiz Gonzaga da Cunha Freitas

    Olá, Sandro. Meu nome é Luiz Gonzaga. Moro em São Paulo, sou advogado e tenho 61 anos. Sempre tive vontade de fazer essa viagem pela transiberiana. Com suas dicas, ficou um pouco mais claro sobre as peculiaridades desse trajeto. Tenho, no, entanto, um trajeto que antecede essa viagem e, portanto, tendo em vista a sua experiência e por morar na Rússia e já conhecer um pouco os hábitos, gostaria de ter a sua opinião:

    Pretendo viajar da Califórnia, passando pelo Canadá e chegar ao Alasca. Dalí, pretendo atravessar o mar de Bering e chegar a Vladivostok, a princípio sem passar pela China e Mongólia. Aí, sim, a viagem começaria. Como não se exige visto por 90 dias imagino que daria para fazer o trajeto e depois seguir para outro país da Europa.

    Imaginando que eu escolha baixa temporada, há problemas que impeçam que os trens sigam pelos trilhos, por causa do excesso de neve?

    Saindo de Anchorage, devo me antecipar a ir a um consulado russo ou é só apresentar o passaporte?

    Tem ideia dos meios de transportes que chegam a Vladivostock, saindo do Alaska?

    Você disse que convém o mínimo de cinco paradas. Quanto necessito em rubros?

    Um grande abraço.

    • O Mundano

      Olá, Luiz.

      Perdão pela demora em te responder.

      Você já achou informação a respeito da maneira de cruzar do Alasca para a Rússia? Não tenho nenhuma informação a respeito deste trajeto, mas vou pesquisar. Compartilha aqui se você achar algo, pode ser? 🙂

      Sobre a questão do visto na Rússia, pode ficar tranquilo. Nós, brasileiros, podemos ficar 90 dias sem ter que pedir nenhum documento ao Consulado Russo – somente se você quiser visitar regiões específicas, militares ou que exijam algum tipo de autorização. Não acredito que seja seu caso.

      Sobre a questão dos valores, dos rublos, bem, depende muito da classe em que você quer viajar, do tipo de hotel pra se hospedar. Se você tiver algum ideia mais concreta a respeito destes pontos, posso te ajudar (na camaradagem) a montar um orçamento. Só me escrever pra sandrocfernandes@gmail.com

      Um abraço

      Sandro

  15. Adriana

    Olá Eduardo! Vou fazer a transiberiana (Moscou – Pequim) em julho mas vamos (eu+ 3 pessoas) por uma empresa européia denominada Rotas do Vento. No entanto chegaremos alguns dias antes para fazer São Pertsburgo e depois mais uns dois dias em Moscou antes de encontrar com o grupo. Obrigada pelas dicas sobre cartões de crédito, cash, etc. Vc tem alguma sugestão sobre hotel bem localizado em São Pertsburgo com preço justo???? Melhor fazer de trem de São Petersburgo para Moscou???

    • O Mundano

      Adriana, mil perdões pela demora em te responder.

      Emendei uma viagem na outra e acabei me perdendo com a postagens e os comentários. Vocês já resolveram a questão da viagem de julho? Ainda têm alguma dúvida? Entre São Petersburgo e Moscou, acho mais simples fazer de trem mesmo. Sobre hotel, bem, depende muito do orçamento que você tenha. Se ainda estiver precisando de dicas deste tipo, escreva para o meu e-mail pessoal (sandrocfernandes@gmail.com).

      Um abração e boa viagem!

    • Shirley Carneiro

      Boa tarde,

      Gostaria de saber como foi a sua viagem no Transiberiano com a Rotas do Vento, pretendo fazer com o meu marido em julho de 2017, estou para fechar, mas não conheço a agência então, ninguém melhor para ajudar, pois teve esta experiência. Agradeço muito. Shirley Carneiro

  16. Douglas

    Olá Sandro… Porque você fala tanto em viajar a Transib no inverno??? Imaginei que fosse muito monótono viajar nesse país continental no inverno…só neve e mais neve rsrsrrs. Porém…confio na sua ideia e penso em ir no mê de janeiro. O que acha??

    • O Mundano

      hehehe Talvez eu seja meio masoquista, mas tenho muita vontade de fazer a Transiberiana de novo – dessa vez, no inverno. Será que é loucura? Se você fizer primeiro, fico esperando sua opinião… hehehehe Um abraço.

      PS: Janeiro e fevereiro são os meses mais frios.

  17. Ola O MUNDANO, felicidades para você… sempre!
    Gostei dos seus fantasticos comentários referente a Transiberiana na Russia.
    Confesso que senti vontade de conhecer ou manter contatos via internete.
    Conheço todos os estados do Brasil a trabalho, alguns paises da America Latina e parte da Europa, onde morei 4 anos em Portugal.
    Frequentei a Universidade de Coimbra- Portugal e na época conheci algumas garotas Russa que estudavam na mesma Faculdade. Tive chance de ir À Russia na época, mas como ai ainda era União Sovietica, meu interesse adormeceu e resolvi regressar ao Brasil. Mas ainda vive em mim, um grande desejo de conhecer a Rússia.
    Parabéns pelo seu notável trabalho e seu vasto conhecimento esta matéria.
    Gostaria de poder manter contatos com você, onde sentirei agradecido, pois meu interesse é trocar conhecimentos, apesar de considerar seu amplo conheciemnto, muito além dos meus.
    Agradeço sua atenção e espero corresponder na medida do possivel
    Atenciosamente,
    José A. Martins

    • O Mundano

      Olá, José. Obrigado pela mensagem tão simpática.

      Eu parei na Rússia ao acaso, mas cada vez me apaixono e me interesso mais pelo país. A diversidade do país é imensa – sem falar que daria pra passar a vida inteira viajando somente na Rússia… hehe

      Meu e-mail é sandrocfernandes@gmail.com

      Acredito que seja a maneira mais fácil para manter contato.

      Um abraço

      Sandro

  18. Nuno

    Olá Eduardo, uma pergunta talvez básica, eu compro o bilhete, mas posso sair e apanhar o proximo comboio? os comboios são diários?
    Abraço

    • O Mundano

      Oi, Nuno. Não entendi muito bem a sua pergunta.

      Não há um passe Moscou-Vladivostok. Você tem que comprar os trechos individuais. Se quiser fazer cinco paradas, terá que comprar seis passagens. E a frequência é quase diária, sim. Se você não viajar na alta temporada (jun-ago), é possível comprar as passagens sem muita antecedência. 🙂

      Um abraço

      Sandro

  19. Uau!! Que máximo esse post, Sandro! Só me deixou com mais e mais vontade de fazer a Transiberiana… o problema é que, mesmo que digam que é seguro, morro de medo de ir pra Rússia sozinha, e meus amigões são muito bundões pra toparem uma viagem assim. haha Mas não desisto, tá na minha lista de viagem pro futuro próximo!

    • O Mundano

      Thaís, deixe seus amigos (bundões) no Brasil e faça a Transiberiana sozinha mesmo. E se alguém pedir vodka de presente, leva a garrafa vazia. 🙂

      Bjs

    • Mari

      Thaís, vamos juntas. Ano passado fiquei 20 dias sozinha na Europa de férias. Bora

  20. Oi! Estou viajando pela Transiberiana agora e usei bastante as dicas do seu blog. Resolvi parar em Nizhny Novgorod depois que li seu post sobre a cidade. Comecei em Pequim, passei por Ulanbaatar e aqui na Rússia por Irkutak, Khuzhir (Ilha Olkhom), Tomsk, Novosibirsk, Kazan e agora Nizhny Novgorod. Ainda tenho Vladimir, Moscou e São Petersburgo pela frente. Obrigada por ter postado tantas informações úteis no blog!

    • O Mundano

      Que bom que vc gostou das infos do blog. 🙂 Preciso parar para escrever sobre o fim da viagem. Tem gente achando q eu fu raptado… Hehe Abraços

  21. Joseli!
    quero ir fazer a transiberiana sozinha mesmo vou estudar mais russo, um dia vou me organizar porem aprendi muito com vocês.
    gostaria de ser mais jovem para ter a cabeça boa como você.
    obrigada
    Bjs

  22. Cara, parabéns pelo post, muito bacana, com muitas coisas que nem imaginava sobre essa viagem e será de grande valia no dia que cruzar a Sibéria (ainda estou na dúvida quanto ao destino final: o clássico ou até Pequim!). Mais uma vez parabéns! Forte abraço!

  23. Mabel Tarré C. Oliveira

    Adorei seus comentários sobre a viagem. Pretendo realizá-la no próximo ano, se possível …

  24. Fernando Duarte

    Parabéns por essa aventura, Sandro. Bacana mesmo! Incrível!
    Vc saberia dizer se é possível fazer a transiberiana de moto (Moscou até Vladivostok)?
    Ano passado fiz com minha Harley Brasil/ Alaska (Prudhoe Bay)/ Ushuaia (Patagônia argentina)/ Brasil. 60.000 km em seis meses.
    Forte abraço!

  25. William

    Olá Sandro,
    Estava lendo queda de gigantes do Ken follett uma passagem sobre a transiberiana e achei esse post. Muito bom. Parece ser uma experiência incrível.
    Vlw

  26. Ei mochileiro! adorei sua hist de viagem, tenho 73 anos e sempre sonhei com essa viagem ,e senti que, não irei nunquinha…rsrsrrs
    conte outras viagens pq adorei a leitura explicativa e simpática, super abraço amigo, Lenita

    • O Mundano

      Olá, Lenita.

      Obrigado pela sua mensagem tão simpática. Acho que vc deveria se aventurar, sim. Ano retrasado, viajei com minha avó de 90 anos e ela amou. 70 anos está na flor da idade!! Viajar descongestiona o cérebro. :-)) Um grande abraço.

  27. Dani

    Olá estou cotando o Transiberiano, mas vi que fica em torno de R$ 30.000,00. Achei muitoo caro. Existe a possibilidade de eu fechar o pacote direto pelas operadoras dos trens? Grata

    • O Mundano

      30 mil reais?? Eu gastei aproximadamente 1/7 deste valor. Mas eu fui como mochileiro, ficando em albergues e sem viajar na primeira classe. 30 mil reais deve ser uma viagem nos vagões mais caros, comendo caviar e ficando em hotel bacana.mVocê pode me passar o link desta agência? Fiquei curioso. 🙂 Um abraço.

  28. Altamir Almeida

    É melhor já i com um pacote do Brasil ou comprar o trchos já em Moscou

    • O Mundano

      Olá, Altamir.

      Eu prefiro sempre fazer por minha conta – sai mto mais barato e faz parte da aventura. Pros que não querem se arriscar e gostam de comodidade, é melhor fazer por agência mesmo. 🙂

  29. Clarissa

    Gostei muito desse post. Pretendo fazer essa viagem algum dia e achei as dicas bem intressantes para começar a montar um roteiro. Adorei! Vou explorar mais teu blog que pelo visto tem bastante coisa interessante. Abraço

    • O Mundano

      Que bom que você gostou, Clarissa. A Transiberiana é uma das viagens mais legais que eu já fiz. Repetiria todo ano. 🙂

  30. muito bom.
    respondeu algumas perguntas minhas. Parabéns

  31. João Maciel

    Estou pensando em fazer a transiberiana até Beijin, com minha Mãe, ela tem 77 anos e esta é a viagem dos sonhos, da vida dela, acha perigoso ou não recomendável por causa da idade? ou mesmo por não falarmos inglês ou Russo?

    • O Mundano

      Olá, João. Perdão pela demora em te responder. Não acho a viagem perigosa, mas pode ser desconfortável para uma pessoa de 77 anos. Se sua mãe for super ativa, legal. Mas seria bom que você fosse assessorado/ajudado pra comprar os lugares mais confortáveis. Pode contar comigo pra isso.

      Sobre o idioma, bem, se eu disser que isso não vai ser uma barreira eu estarei te mentindo. Mas podemos tomar a barreira como uma aventura, né? Histórias e risadas nao vão faltar. 🙂

      Abraços

  32. Vou fazer de carro, já fiz 66 duas vezes e a panamericana 1 vez e vou sair de Lisboa via Mônaco deve dar uns 20 mil km fora os tour não me importo de rodar 25 mil km, vou de boa

  33. Carlos Paga Aleixo Vou fazer de carro, já fiz 66 duas vezes e a panamericana 1 vez e vou sair de Lisboa via Mônaco deve dar uns 20 mil km fora os tour não me importo de rodar 25 mil km, vou de boa

    • O Mundano

      Nossa, sério?? Posso ir junto? Que sonho!!! Quero cruzar a Rússia toda de novo. Pensando como/quando/com quem.

  34. Super legal gostei muito da sua viagem. Foi muito top. Eu gosto de conhecer não só uma cidade mas todo o país e suas diversas culturas. Algumas das miunhas viagens está em Mobli Carlos Puga Aleixo. A gente se vê por aí. Valeu as dicas.

  35. Marcia Ribeiro

    Gostei muito do seu post!! Pretendo fazer a Trans. agora em Agosto. Vou sózinha. Pretendo fazer umas 5 paradas, incluindo Lago Baical e Ulan Bator, terminando em Vladivostok. Quanto, vc acha, que eu gastaria com os tickets do trem ? Poderei comprar na hora, em Moscow todos os trechos com data de embarque livres ? Desde já, agradeço !

    • O Mundano

      Olá, Márcia. Sobre os tickets, você pode checar tudo no site rzd.ru ou tutu.ru (o primeiro é mais barato e o segundo é mais fácil de usar).

      O valor dos tickets vai depender das suas paradas e da classe que vc pegar no trem. Por isso não posso te dizer um valor. Lembrando que agosto é alta temporada e os tickets são mais caros. Além disso, recomendo fortemente que você compre pelo site, com antecedência. Se não, você corre o risco de ficar sem assento em alguns trechos ou ter que se render a passagens caras e/ou em assentos ruins. Veja isso com antecedência, melhor. E se quer viajar em agosto, é bom ver isso agora. Qualquer dúvida, pode me perguntar.

      Ah! E NÃO existe uma passagem aberta até Vladivostok, com trechos com data de embarque livre. Vc tem que comprar cada trecho, individualmente. 🙂

      Um abraço e boa viagem!!

  36. Marcia Ribeiro

    Obrigada !!! Muito ansiosa com a viagem !!! Abçs !!!!

  37. sara

    HAHA. depois de ler a legenda da foto fiquei na duvida se é mesmo seguro para uma mulher viajar de trem..dormir ao lado de desconhecidos numa cabine..acho meio tenso.. mas adorei seu relato e escrita. muito interessante. quem sabe não faço um dia a viagem também.

    • O Mundano

      hehehe Sara, espero que você tenha mais sorte com o vizinho de trem. De qualquer maneira, história pra contar não faltará. 😀

    • Adriana Oliveira

      Eu fiz a Transiberiana/transmongoliana de Moscow até Pequim. Se seguir só na Transiberiana até Vladvostok são 14 dias também e não 40. Foram 14 dias de trem viajando sempre do final de tarde até o dia seguinte, pois parte do dia ficávamos parados em algum lugar interagindo com o local. Só tem que ficar atento para não perder o trem nas paradas. Eu sinceramente, acho melhor fazer o trajeto com a empresa dona do trem Zaragold (empresa alemã) pois ela se encarrega de toda a segurança, camarotes para duas ou 4 pessoas (claro que o preço muda também) comida no trem e fora dele, médico, guia mascaradas falando inglês, etc. no entanto tenho amigos que já fizeram no trem, dormindo vários no mesmo camarote. Nesse esquema eles param no meio do deserto de Gobi na Mongólia (para um café da Manhães ver o nascer do sol), pôde-se trocar uma noite no trem e dormir num acampamento Mongol em Ulanbaatar, navegar no Lago Baikal e participar de um churrasco à beira desse lago, com o trem parado esperando. Recomendo gastar mais e fazer nesse esquema para poder interagir com a comunidade local por onde vai passando e entendendo o que acontece pois russo, mongol é chinês são indecifráveis mesmo para quem fala fluente outras línguas.

  38. raul athaide

    Boa noite!

    Mundano, estou nesse momento em Donetsk, Ucrânia. Não sei se estou enganado, mas achoque existe a possibilidade da transiberiana sair daqui, consegue me confirmar isso? De qualquer forma não saindo daqui volto pra Moscou em setembro ou outubro pra fazer essa trip! Queria só te fazer mais uma pergunta, tu sabe mais ou menos quanto eu gastaria nessa viagem, saindo de Moscou com todas as opções mais batatas possíveis… Desde vagão, hostel, alimentação, sem gastar com nada de supérfluo, trazendo apenas lembranças na mente e no cel, afinal donos viajantes e não turistas! 🙂 😉 Parabéns pelo excelente blog! Forte abraço.

    • O Mundano

      Raul,

      Escreva pra mim por e-mail e conversamos sobre esta sua viagem, pode ser? A situação aí ainda está bem complicada e não sei se é melhor vc sair de Donetsk indo pra Kiev ou indo direto pra Rússia. Depende da sua situação de visto. Vamos conversar em privado, melhor. sandrocfernandes@gmail.com Abs

  39. Barbara Messas

    Oi Sandro,

    Estou morando na China e me planejando para fazer a Transiberiana em março, só que ao contrário (Beijing-Moscou).Seu post foi o pontapé inicial para minhas pesquisas, muito obrigada!
    Tenho uma dúvida quanto ao tempo de viagem, você disse que o trem “come” 7 dias, isso quer dizer que para atravessar o país inteiro, dentro do trem ficaríamos 7 dias,os outros dias são para passear nas 5 paradas? Fiquei um pouco confusa.
    Abs.
    Barbara

    • O Mundano

      Olá, Bárbara. É isso mesmo. O trem “come” seis dias da viagem. De Moscou a Vladivostok, são 143 horas de viagem (seis dias). Pra China, não vai ser muito diferente.

      Depois que você definir quantos dias vai ficar em cada parada, tem ainda que adicionar seis dias “livres” apenas pra viagem de trem. Espero que tenha ficado claro. 🙂

      Bjs e boa viagem!!

  40. edgar lima

    Oi Sandro
    Pode-se fazer a transiberiana a partir de San Petersburgo?

    • O Mundano

      Olah, Edgar. A Transberiana nao eh uma rota fechada ou um trem especifico. Voce pode comecar de qualquer cidade. De Piter, por exemplo, vc pode comecar, depois seguir pra Moscou e seguir a rota classica. 🙂 Qualquer duvida, soh perguntar.

  41. Tais

    Adorei tudo. Por onde você anda?

  42. cara, serio mesmo nunca gostei tanto de ler um blog de viagem como o seu, muito bom mesmo e engraçado ,estou dando risada sozinha na frente do computador, e com certeza ta valendo cada dica, parabéns!

    • O Mundano

      hahahaha Que bom! Preciso atualizar o blog. Ai, ai, ai… Ou talvez investir na profissão de humorista. Humorista de viagem? :-))

  43. José Carlos Oliveira Couto

    Parabéns, aqui encontrei as melhores informações que estava procurando. Pois farei esse trajeto em agosto de 2016. Obrigado pelas dicas.

  44. Carlos

    ol meu nome é Carlos estou em Moscou agora se alguém quiser companhia pra viagem carlos.potenciadigital@gmail.com

  45. Olá Sandro, estou planejando fazer a transiberiana agora em setembro, vou sozinha e agora que li seu blog fiquei mais tranquila (um pouquinho hahahah)! Sei que é bem punk! Queria dicas de hostels e se posso comprar os bilhetes de trem a cada estação.
    Obrigada,
    Magna

    • O Mundano

      Olá, Magna. hehehe Que bom que você ficou um pouquinho mais tranquila. A Transiberiana vai ser uma experiência incrível, prometo. 😀

      Sobre os bilhetes, bem, eu acho melhor comprar com antecedência. Setembro ainda é um pouco alta temporada. Se você for viajar sozinha, é mais fácil conseguir na hora, mas sempre pros piores lugares (cama superior, perto do banheiro). Compre antes, se puder.

      Sobre as dicas de hostel, bem, você já sabe que cidades vai visitar na rota? Eu costumo me basear nas pontuações e comentários do site Booking.com. Acho super confiável e é atualizado. Os hostals que eu fiquei talvez nem existam mais… rsss

      Beijos e boa viagem!

  46. fernando duarte

    Olá Mundano!
    É possível atravessar (avião ou barco) o Estreito (ou mar) de Bering até Alaska (ou vice versa)transportando uma moto (tipo trail leve)?
    Abs
    Fernando

  47. O Mundano

    Olá, Fernando. Nunca vi nada sobre isso, dei uma procurada agora em russo e não achei nada confiável. Vou ficar te devendo essa informação. Se eu achar algo, te aviso. Abs

  48. Antonio Evando Pio Gontijo

    Ola, Mundano

    Fantasticas suas observações e respostas sobre a Russia e alem.
    Sou viajante profissional ha anos e pretendo percorrer a Transiberiana até Vladivostok.
    Viajo sempre em condição individual ou com minha namorada, sem qualquer ingerencia de agentes de viagens, exceto se absolutamente necessarios.
    Qual a dificuldade de comprar bilhetes no trem com paradas em muitas cidades da rota, reserva de hotel, etc?
    Best regards!

    Antonio Evando

    • O Mundano

      Olá, Antonio.

      Tirando o idioma (que acaba sendo parte da aventura), não há grandes dificuldades em comprar bilhetes de trem. Mas se for alta temporada, o ideal é comprar tudo com antecedência. Se vc estiver viajando sozinho, é mais fácil conseguir passagens, mas com outra pessoas vocês podem acabar ficando separados se deixarem pra comprar em cima da hora. Se a viagem for no verão ou na época de Ano Novo/primeira semana de janeiro, sugiro comprar antes.

      Se vc tiver mta flexibilidade e tempo, comprar na hora é sempre mais legal, sem dúvida. Menos planos, mais liberdade.

      Hotel também é muito fácil. Uso o site booking.com, que tem referências boas e atualizadas, mas também fico muito na casa de pessoas do CouchSurfing. Em todas as cidades grandes/médias da Rússia, a comunidade é super popular, ativa e solícita. 🙂

      Qualquer dúvida, estamos aí.

      Abs

  49. Caio Menezes

    Olá, Sandro!!! Parabéns pelo texto e pelo blog (ambos muito elucidativos)
    Sou estudante de Medicina aqui no Brasil e estou planejando ir para Moscou em Dezembro de 2016/ Janeiro 2017, período pelo qual farei um estágio na universidade de Pirigov (você conhece? o que pode me falar dela? rs).
    Estava pensando no que poderia fazer após o termino desse período de estágio: leste ou oeste? Foi quando me veio a leitura do seu blog e a ideia de fazer a transiberiana. Mas esbarro num problema do preço e do tempo. Estou perdido enquanto a isso. Você disse que a viagem pode durar de 6 até 20 dias dependendo das paradas. Onde posso encontrar informações sobre as cidades do caminho, o que fazer, quais valem a pena parar, etc? Sobre o preço, sendo bem econômico, quanto você acredita que seria gasto nessa viagem em média?

    • O Mundano

      Olá, Caio. Tudo bem? Conheço a Pirogov só de nome. Não saberia falar dela, mas no Facebook há vários grupos de estudantes brasileiros na Rússia. Vê lá com eles. Como quase todos estudam Medicina, acho que não vai ser difícil achar alguém que conheça bem a instituição.

      Sobre a Transiberiana, seis dias é o tempo que você leva se for fazer o trajeto direto, sem nenhuma parada. Particularmente, acho super cansativo – além do mais, não tem chuveiro nem nada.

      Eu estou me esforçando muito para voltar a escrever no blog e colocar aqui todas as paradas que eu fiz na Transiberiana. Aí você vai ter uma ideia dos lugares interessantes e decidir onde quer parar. Vou ter que atualizar os preços também porque o rublo (moeda russa) se desvalorizou muito nos últimos anos. A ideia é que eu complete estas postagens em agosto. Fiquei de olha aqui e você já terá todas as infos necessárias para a Transiberiana, ok?

      Abraços

  50. Marcilene

    Oiiiii…Mundano. Moro nos USA e estou querendo fazer essa viajem e depois esticar ate o Tibet. Boa Sorte e foi de grande valia sua experiencia pra mim. Vai mandando mais dicas. Bjus e Boa viajemmmm!!!!!

    • O Mundano

      Oi, Marcilene. Que bom que o blog ajudou. 😀 Depois conta como foi a sua viagem!! Qq dúvida, só perguntar. Bjs

  51. Rodolfo

    Muito bom o blog. Parabéns.
    Você poderia falar sobre o transporte de bicicletas nos trens das transiberianas. Ė permitido? Tem custo adicional ?
    Obrigado.

  52. Leide Aparecida Carneiro

    Oieeeeeee! Salve salve! Esta viagem, è mais uma das que estao guardadas nos meus sonhos e quem sabe um dia…nao sai fora nè? E hj fui pesquisar algo sobre, e encontrei o seu post. Eu amei ver todas as suas informaçoes . E fico a cada dia mais encantada com esse universo que se chama Mundo e com as pessoas que nao tenham medo de desbravar, como voce. Parabèns e muito sucesso para voce. E no momento do sonho ser realizado, vou te contactar. Desejo a voce muito sucesso. Ah, um pouco da estrada eu ja fiz, pois deixei o Brasil a 9 anos, e vivo na Italia. Boa sorte para voce e seus seguidores.Um abraço. Leide.

    • O Mundano

      Oi, Leide. Que legal que você também se jogou no mundo. A Itália é linda demais!!!! Venha desbravar a Rússia também. 😀

      Beijos

  53. Jarbas carballal

    Jarbas Carballal
    Já fui de motor Home de Ushuaia a Dead Horse no Alaska.
    Madrid A Nordkapp (N71 10’07”. E25 46’45”) Noruega também de Motor Home.
    Tenho a intenção de fazer Madrid a Vladivostok de MH.
    Gostaria da companhia de outro MH para esta etapa.
    Alguém se habilita.
    Muito interessante suas dicas.
    Obrigado

  54. Olá Mundano,

    Fiz a Transmongolian e a Transiberian dez anos atrás, e realmente foi uma das viagens mais marcantes da minha vida, fiz um video com fotos no youtube https://www.youtube.com/watch?v=e-J_Ln8hRpc

    Parabens pelo blog.

    Abs

  55. ESTIVE NA RÚSSIA HÁ DOIS ANOS ATRÁS, MOSCOU E SÃO PETERSBURGO, E FIQUEI FASCINADO PELA BELEZA DAS DUAS CIDADES MAS, MEU SONHO É FAZER ESSA VIAGEM DE TREM ENTE MOSCOU E WLADWOSTOK E LENDO O QUE VOCÊ CITA, FIQUEI MAIS EMPOLGADO! ABRAÇOS CARA E MUITAS OUTRAS VIAGENS PARA VOCÊ EM 2017!

  56. Edusrdo C

    Vou pegar meu GORDINE.Luxe-69 e percorrer MOSCOU-VLADIVOSTOK. Ligerim, ligerim! PELO SPORT TUDO!!!

  57. Ulisses

    Obrigado pelo relato. Parei no acordar todo dia e ver as mesmas caras que não falam nada além de russo e pela monotonia da paisagem. Ajudou minha decisão de não fazer este passeio. Recomendo o trem do Equador chamado Tren Crucero. Divertido, paisagens alucinantes e que mudam do frio intenso para calor , gente simpática a bordo e prestativa, paradas para dormir em fazendas e onde vc. é tratado como rei.

    • O Mundano

      Poxa, Ulisses rsss

      A ideia é que vc se anime a viajar. A Transiberiana é uma viagem impressionante, principalmente se você for com tempo. E hoje em dia, bem, é fácil a gente se virar com os aplicativos de celular quando o idioma é uma barreira. Repense sobre a viagem pela Rússia.

      Ah! E obrigado pela dica do Equador. Anotadíssima.

  58. Adailton Nunes

    Olá meu amigo, td bem? Mto bacana seu post e informações.

    Pretendo fazer essa viagem ano q vem em maiojunho. Existe a possibilidade de fazer este percurso invertido?

    Gostaria de sair do ponto final da viagem até chegar em Moscou já no período da Copa.

    Obrigado, grande abraço!!

  59. Olá Mundano, agradeço suas informações. Eu pretendo fazer a Transiberiana, (Moscou/Vladivostok), logo a pós assistir a Copa do Mundo na Rússia, espero que com o Brasil hexacampeão, para dar mais emoção;
    Roberto de Curitiba

  60. Ericka Martins Santos

    Olá, Mundano! vou para Russia em Abril de 2018! vou sozinha! quero ir até Pequim de trem! Preciso chegar a Pequim até o dia 10 de maio! Penso nuns 20 dias pela Russia! é suficiente???

    • O Mundano

      Oi, Ericka. 20 dias somente na Rússia? E quantos dias na Mongólia? Se forem 20 dias na Rússia, dá sim. Sugiro parar, pelo menos, em Kazan, Ecaterimburgo, Lago Baikal e Ulan Ude. 🙂

      Abs

    • Olá Ericka!!
      Você já decidiu mesmo a data da tua viagem? Eu também quero ficar uns 20 dias na Rússia em 2018, pensei ir no final ou logo após a Copa do Mundo. Também vou sozinha e seria legal ter companhia por lá. Abraço

  61. washington luiz cunha

    Boa tarde Sandro. Está se aproximando a copa do mundo. Anteriormente fiz algumas perguntas. Ainda persiste várias dúvidas. Queria que vocẽ fizesse um blog para esclarecer aos cidadãos que forem viajar para a Russia poder conhecer toda a infraestrutura de Mscow e São Petersburgo.

  62. Noel

    Muito boas suas dicas! Vou ver as postagens da viagem que vc fez. Pretendo encarar a viagem num ritmo só, sem paradas. É possível? Tenho 2 anos pra desistir. :p Abs!

    • O Mundano

      hehehe Não desista, mas acho bem bem difícil fazer direto, de Moscou a Vladivostok. É uma espécie de Bib Brother no trem. hehehehe

  63. Saudações Sandro.
    Seu blog e show. Informações bem detalhadas e uteis para quem encara uma aventura como a da transiberiana.
    Este e o tipo de aventura que me agrada e de preferencia no inverno. Este inverno estarei indo para
    Groelandia Tenho a intenção de efetuar este roteiro no inverno novembro de 2018 partindo de Moscow com parada em Irkutsk e Ulan Bator na Mongólia. Estive algumas vezes na Russia porem nunca estive na região da sibéria.
    Você tem ideia de quantos dias sera necessário considerando a volta via aéreo!

    Abraço

    Ironmax

    • O Mundano

      Salve, salve!!

      Que viagem legal a sua. Vou junto hehehe 🙂

      Se entendi bem, vc parte de Moscou, quer parar somente em Irkutsk, depois ir pra Ulan Bator e voar da Mongólia de volta pra Moscou. É isso? Eu colocaria cinco dias pra Moscou, cinco dias pra Irkutsk (pra vc curtir o Lago Baikal) e mais cinco dias na Mongólia – isso, claro, considerando que vc tem um tempo limitado. Acrescente mais quatro/cinco dias pros trajetos de trem. Ou seja, uns 20 dias no total. Mas se puder mais dias, melhor ainda 😀 Lembrando que inverno tem dias bem curtos e dá mais preguiça de fazer coisas na rua – e, bem, os muitos graus negativos não ajudam muito. A paisagem, claro, compensa o esforço.

      Abração

      • Obrigado Sandro pelas dicas.
        O meu maior interesse sera em irkustsk capital da Siberia e a Mongolia explorar historia de Gêngis Khan. 03 na siberia e 05 em ula bator. Você crer que 15 dias serão suficientes
        Obrigado por compartilhar as suas experiencias de viagens isto. E de grande valia para todos e como eu que busca este tipo de destino: quase no topo do mundo.
        Abraço.

  64. fernando duarte

    Parabéns pelas informações concisas e claras! Dá vontade de viajar nessas linhas.
    Uma pergunta: é possível atravessar de Vladivostok ou Coréia do Sul para Alaska/ EUA? Navio ou avião?
    Obrigado

    • O Mundano

      Olá, Fernando. Adoraria fazer essa travessia tb e já li alguns relatos de gente que fez, mas parece ser muuuuuuito complicado e muuuuuito caro. Se vc descobrir alguma info confiável recente, por favor, compartilhe comigo e vou com você hehehe 🙂 Por enquanto, acho que o avião é, infelizmente, a melhor maneira. Abs

      • fernando duarte

        Bom dia!
        Ouvi dizer que é mais viável e relativamente mais barato partir da Coreia do Sul.
        Na realidade gostaria de fazer isso de moto…
        Mas vamos trocando dicas!
        Abraços!

  65. Muller

    Cara, valeu demais pelas informações. Visito a Rússia daqui a um mês e eatou considerando seriamente fazer a transiberiana. Seu post me deu mais conforto a respeito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: