Hotéis, restaurantes, bares e boates de Moscou

Pra fechar as dicas de Moscou, achei relevante postar aqui algumas dicas de acomodação, restaurantes e boates/bares (atualizarei aos poucos):

Acomodação

Este é sem dúvida o grande problema para os viajantes (melhor dito, para os mochileiros que estão com o orçamento apertado). Há novos albergues na cidade, mas ainda estamos muito aquém da variedade de opções que há nos países da Europa ocidental, por exemplo.

Quase todas as pessoas que eu conheço ficaram no albergue Napoleon (http://www.napoleonhostel.com), que custa pouco mais de R$ 30 a noite. A localização é perfeita, bem no centro do meu bairro preferido de Moscou – Kitay Gorod. É uma área com muitos bares e restaurantes e, apesar de estar bem pertinho do Kremlin, os preços são acessíveis. O bairro é frequentado pela galerinha cool de Moscou, jovens descolados que falam vários idiomas e muitos expats.

Uma alternativa ainda mais barata é utilizar o site CouchSurfing (www.couchsurfing.org). A página funciona como uma rede de viajantes dispostos a receber desconhecidos (de graça) em suas casas em troca de um bom papo e (quem sabe?) uma nova amizade. A comunidade do CouchSurfing de Moscou é muito ativa e a chance de você encontrar um host, alguém que possa te acolher, é bem grande. A ideia do Couch Surfing não é apenas economizar alguns reais/dólares, mas realmente estar em contato com pessoas que possam te trazer uma perspectiva local da cidade, fugindo da atmosfera “Where are you from?” dos albergues. Conheci alguns dos meus melhores amigos pelo site do Couch Surfing e sempre recomendo!!

–> No centro, sem pagar uma fortuna

Nem todo mundo que está lendo o blog é mochileiro radical. Hotel em Moscou é bem caro, mas com alguma organização, é possível ficar no centro sem ter que roubar as moedinhas de nenhuma igreja.

Ibis Tverskaya tem provavelmente o melhor custo-benefício da cidade. Está localizado no coração de Moscou e custa R$ 350 a diária. Reserve com antecedência. O hotel tem o conforto básico, mas sem nenhuma extravagância.

Para hoteis melhores, mas na mesma faixa de preço, busque na zona de Izmayalovo (eles aparecerão facilmente em qualquer busca ordenada por “menor preço”, descartando os dormitórios de albergues). Hoteis com piscina e sauna podem custar os mesmos reais/rublos do Ibis. Quase todos ficam próximos ao metrô e em menos de 20 minutos você estará na Praça Vermelha.

Para os que estão com um orçamento mais, digamos, folgadinho, minhas três recomendações são:

– Ritz: o hotel tem um lounge-bar super legal no terraço, com uma vista sensacional da Praça Vermelha; o inconveniente é estar sempre cheio de celebridades e políticos. Muitas vezes, o hall principal tem tanta gente que parece o metrô carioca na hora do rush. E o staff nem sempre é muito simpático se você não for uma destas celebridades. O preço, óbvio, também está nas estrelas: R$ 1.800 pela diária.

– Hyatt Ararat: o interior parece um navio. E o restaurante no terraço é ótimo, também como uma vista muito boa (não tão boa como a do Ritz). Valores a partir de R$ 1.160.

– Metropol (não tem a chiqueza exagerada do vizinho Hyatt Ararat nem a vista do Ritz, mas um staff super simpático, a arquitetura Art Nouveau e uma ótima atmosfera fazem deste o meu hotel chique preferido de Moscou. Os valores começam em R$ 550, se você tiver sorte.

Restaurantes

Para os chiques e com dinheiro, acrescento aos já citados restaurantes dos hoteis o famoso e tradicional Café Pushkin. A conta de um almoço fica por volta dos R$ 200, por pessoa. Confira o site (em inglês): http://www.cafe-pushkin.ru/en/

E quem quer comida russa com preços acessíveis, sugiro provar “pelmeni” (parecido com um ravioli, mas melhor!!), “borsch” (sopa de beterraba, de origem ucraniana) e “blini” (panquecas). Onde comer? Estes pratos são servidos em quase qualquer restaurante (os russos adoram misturar pizza, sushi-bar, comida russa etc), mas os mochileiros costumam escolher a rede de restaurantes My-My (lê-se Mu-Mu), que já foi muito mais barato, mas que ainda mantém preços decentes. Funciona como um bufê onde você vai vendo e escolhendo a comida. E depois paga o que pediu. Bem simples. Come-se bastante bem, com sobremesa, por 400 rublos (R$ 26). Confira aqui os endereços do My-My: http://www.cafemumu.ru/address/

Um outro lugar super bacana e imperdível (para os que querem sentir um pouco o espírito soviético) é o Cheburechnaya, que serve chebureki (pastel russo) e vodka. Confira o post que eu já fiz lá no meu blog, Café com Kremlin:   http://cafecomkremlin.com/2012/04/06/pastel-com-vodka-num-bar-sovietico-bem-vindo-a-russia/

Além disso, uma andadinha pelo bairro Kitay Gorod vai te fazer descobrir muitos lugares bons e baratos. O clássico da zona é o Propaganda, que também é uma boate e eu comento logo em seguida, no próximo tópico.

Lenin e eu

bar Cheburechnaya – rua Pokrovka, 50 (metrô Krasnye Vorota)

Baladas e nights

Não sou a melhor pessoa para dar dicas de boates, então vou ser bem subjetivo e falar do meu lugar preferido da cidade – bar/club Masterskaya. Não é uma boate, mas um bar com música e que vira pista de dança nas noites mais animadas. Sempre tá rolando um showzinho por lá e é um ambiente frequentado por um pessoal descolado de Moscou (além de estrangeiros, claro).

Eles também têm um restaurante bem legal com boa comida (e 24h!!). O site deles (em russo) http://www.mstrsk.ru/ tem a programação. Um pouquinho de boa vontade com o Google Translate e pronto!! Ah, fica pertinho da antiga sede da KGB, a polícia secreta soviética (metrô Lubyanka). Ótimo lugar pra começar uma noite russa, hein!

E se não gostar do Masterskaya, só seguir (andando mesmo) em direção à rua Bolshoy Zlatoustinskiy, n 7 ou perguntar onde fica o “Propaganda”. Todo mundo conhece. É a primeira boate de Moscou e todos todos todos os estrangeiros da cidade já passaram por aquela pista de dança. É lugar de flertar (pra falar em um tom fino). Ou seja, vá preparado/a. A entrada é grátis, mas tem a chatice russa do “face control”. Estrangeiros não costumam ter nenhum problema e mesmo que estejam “desarrumados”, vão entrar… Só falar inglês em alto em bom tom. Também acho patético, mas… O Propaganda é também um restaurante durante o dia. É muito bom, com preços acessíveis, por sinal. Recomendo pedir a “Salada Caesar”, a melhor da cidade. Realmente muito muito gostosa!! http://www.propagandamoscow.com/en/

Agenda cultural

Se você for checar a programação cultural de Moscou, nunca mais vai sair daqui. E tudo vale a pena. Compre mesmo sem saber russo, sem saber do que se trata (ok, exagerei um pouco, mas o nível é realmente alto!). O princpal site (em russo) para conferir o que está rolando na cidade é o http://www.afisha.ru/ Pessoalmente, gosto muito do Conservatório (http://www.mosconsv.ru/en/) e da Casa da Música (http://www.mmdm.ru/), ambos com página web  em inglês. O Conservatório tem uma ampla programação gratuita ou por preços muito baixos. E é ótimo!!! A acústica de uma das salas (Rakhmaninov) é sensacional.

Conservatório

Um site que também ajuda a buscar (em inglês) what’s going on em Moscou é o http://www.operaandballet.com/. Mas atenção. Cheque e depois busque a página do teatro em questão. Os preços do site são muitas vezes abusivos.

Anúncios
Categorias: Uncategorized | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Hotéis, restaurantes, bares e boates de Moscou

  1. Legal, Sandro! eu fui ao Papa´s Place, pertinho da estação Lubyanka. Me parece ser do mesmo estilo do Propaganda (que não conheci). Abração!

  2. Eu vou dar uma olhada naquela opção de hotel no centro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: