Yekaterimburgo: terra de Yéltsin e da execução dos Romanov

Yekaterimburgo é a grande metrópole dos montes Urais, a capital da região e a quarta maior cidade da Rússia. Já no trem, as pessoas vinham me dizendo “Yekaterimburgo nem parece uma cidade russa” ou “Yekaterimburgo é linda e organizada como a Europa”. Bem, como eu acho a Europa linda, organizada e bem chata, já fui me preparando para tal. À primeira vista, a cidade parece mais com uma espaçosa cidade europeia do que uma urbe russa, mas aos poucos a gente vai descobrindo a alma russa desta “Europa dos Urais”.

Assim que saí da estação de trem, avistei uma stolovaya (a boa e velha cantina soviética) e resolvi almoçar ali mesmo. Primeiro choque – o preço: 350 rublos (R$ 25) por um almoço que normalmente custa menos da metade nos estabelecimentos do tipo. Paguei resmungando e desfrutando de cada pedacinho do meu frango.

Dali, parti pela rua Sverdlova até a controversa Igreja do Sangue, construída com milhões e milhões rublos em 2003, em estilo bizantino. O templo foi feito para render graças à família Romanov, que foi canonizada pela Igreja Ortodoxa Russa no Exterior em 1981, com o título de “Novos Mártires”. No ano 2000, depois de muito debate, os Romanov (Tsar Nicolas II, Tsarina Alexandra e seus cinco filhos) foram finalmente canonizados pela Igreja Ortodoxa Russa, com o título de “Portadores da Paixão” (strastoterpets). Um “Portador da Paixão” é uma pessoa que é morta de uma maneira parecida à de Jesus Cristo, mas diferentemente dos mártires, eles não são explicitamente mortos por sua fé, “mas a abraçam com piedade e amor a Deus”. Todos os “mártires” são “portadores da Paixão”, mas a recíproca não é verdadeira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Igreja do Sangue de Yekaterimburgo é um tapa na cara de quem vê igrejas como ambientes de aproximação com o sagrado. Ali, a única aproximação que uma pessoa de bom senso sente é com o luxo. Ouro por todo o lado e uma infra-estrutura de deixar o bispo Macedo com inveja. Dizem até que o ícone mais caro da Rússia está ali dentro. Da igreja, segui para o lago da cidade. Como fazia calor, havia alguns jovens tocando música na margem, crianças patinando, casais tirando foto e/ou namorando. Os edifícios ao fundo dão até uma ideia de Manhattan russa.

Bem, seria uma Manhattan se logo depois de cruzar o lago (pela avenida Lênin) não nos deparássemos com ele, Lênin, como sempre onipresente nas principais praças russas. Em Yekaterimburgo, a estátua de Lênin leva um sobretudo e é o destaque da Praça Ano 1905, que conta ainda com um edifício stalinista que abriga a Prefeitura. Destaque para o relógio do prédio (fotos na galeria abaixo):

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este já é o centrão de Yekaterimburgo, com a obviamente célebre avenida Lênin. Ande, ande e ande. Achei a cidade bem agradável, com bons restaurantes e bares. É um local pra gastar um pouquinho mais do que o que estamos acostumados na Rússia.

Depois de caminhar pela cidade inteira, resolvi ir para o meu albergue. Geralmente, escolho pelo preço e pelas recomendações. No caso de Ekaterimburgo, como eu estava sem tempo, busquei o mais barato e reservei. Ai, ai, se eu soubesse o que me esperava… Tinha visto no mapa que o albergue ficava perto da estação de trem e como a localização é sempre sempre um dos fatores fundamentais, nem pensei duas vezes. A questão é que o tal albergue ficava ao lado de uma estação secundária (Pervomayskaya), em uma vizinhança bem estranha. Quando entrei no albergue, notei que o local era na verdade uma espécie de mega dormitório barato para russos. Ninguém sabia nem um “Hi” de inglês. Na recepção, a dona falou pra filha: “Nossa. Do Brasil. Deve ser perto da Alemanha. Lembra aquele menino que veio há duas semanas?”. E a filha respondeu: “Ah, sim. Era outro ‘inglês'”. (muitos russos usam “inglês” quando querem se referir a “estrangeiro”). Sorri e fui pro quarto. Outros três homens assistiam a um jogo de futebol e bebiam cerveja. E assim foi até as tantas da madrugada. Não reclamei. Só pedi a São Putin que o tempo passasse rápido. De manhã, como não havia água quente, peguei minha mochila, levei pra estação de trem e deixei por lá. Decidi fazer uma day-trip naquele domingo e pegar um trem pra Sibéria naquela noite mesmo.

Ekat

Depois da noite tenebrosa, tirei o domingo para visitar Ganina Yama, a 15km de Yekaterimburgo. A cidade alberga o Monastério dos Mártires Sagrados, em honra à família Romanov. A Igreja Ortodoxa diz que este é o local onde se encontram os restos da família. No entanto, em 1998, os restos da família real foram enterrados na Catedral de São Pedro e São Paulo, em São Petersbugo. A Igreja Ortodoxa não reconhece o fato e mantém o complexo de Ganina Yama como ponto de peregrinação para os fiéis.

Como chegar?

O mais importante é saber os horários de volta, já que não há muito trens que param nesta estação.

Confira tudo no site: http://ekburg.tutu.ru/

Na parte de busca (Поиск по пунктам следования), coloque Екатеринбург Пасс. no espaço de Saída (Пункт отправления:) e Шувакиш  no espaço de Chegada (Пункт прибытия). Essa é a ida. Complete abaixo com a data. E depois, basta fazer o mesmo ao contrário para conferir os trens de volta. São 30 minutinhos de viagem e a passagem custa menos de 4 reais.

Assim que você chegar a Shuvakish, siga à direita (no sentido do trem). Você tem que caminhar pelo menos 30 minutos pra chegar ao local sagrado. Mesmo eu, que sou urbanóide e que estava sozinho, gostei da caminhada. Fotos do complexo religioso, do caminho e do interior de algumas igrejas em seguida:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na volta pra Yekaterimburgo, conheci no trem uma simpática senhora que queria me apresentar à filha dela: “Ela é como você. Só quer viajar e viajar. Tem 25 anos e ainda não se casou, acredita? Você é casado?”. Quando eu falei que não era casado, ela resolveu arregaçar as manguinhas pra arrumar um marido pra pobre filha. Inventei algumas desculpas e mudei de assunto.

Já na cidade, voltei pra praça da Prefeitura e de lá peguei o ônibus 14 para o ponto “Kontrolnaya”. Queria terminar o dia visitando o Cemitério Shirokorechenskoye, onde dezenas de membros da máfia estão enterrados. Pra quem tiver tempo, recomendo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Categorias: Uncategorized | Tags: , , , , | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Yekaterimburgo: terra de Yéltsin e da execução dos Romanov

  1. Adoro vim aqui e saber das suas aventuras na Rússia! Foi bem sinistro o albergue que ficou!
    Beijos
    Adriana

  2. adrianabalreira

    Adoro vim aqui e ler sobres suas aventuras na Rússia! Esse albergue que ficou era bem sinistro!

Deixe uma resposta para adrianabalreira Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: